Trata-se de um Programa da Fundação Rotária que patrocina projetos de serviços comunitários que envolvam a participação ativa e pessoal de Rotarianos, devendo servir como forma de assistir à comunidade e/ou melhorar a vida dos menos favorecidos onde houver distritos e Rotary Clubs.

Cada Distrito pode designar fundos da Categoria Humanitária do Sistema SHARE (ou FDUC – Fundo Distrital de Utilização Controlada) para o custeio dos projetos de seus clubes. O limite do valor anual poderá ser de até 20% de 50% do total anual das contribuições do Distrito, arrecadado há três anos rotários atrás, podendo este valor ser distribuído em sua íntegra ou subdividido em parcelas menores para otimizar o número de projetos agraciados.

Este tipo de projeto não requer parceiro internacional.

O valor total ao qual o Distrito tem direito é repassado ao mesmo no início de cada ano rotário pela Fundação Rotária. Como o próprio Distrito é responsável pela distribuição dos fundos, cabe a ele, através de sua Subcomissão Distrital de Projetos, analisar e agraciar os projetos em base de concorrência e posteriormente reportar a implementação dos mesmos à Fundação Rotária, após sua conclusão.

Sendo assim, cabe também ao Distrito comunicar seus clubes sobre o cronograma e o processo de seleção de projetos, bem como, se o Distrito e os clubes assim concordarem, disponibilizar um formulário padronizado para que os clubes submetam seus projetos à Subcomissão Distrital de Projetos.
Perguntas e respostas freqüentes sobre o Subsídio Distrital Simplificado

P: Como distritos solicitam Subsídios Distritais Simplificados?
R: Pedidos são recebidos pela Fundação Rotária de 1º de julho a 31 de março do ano rotário anterior ao da disponibilidade dos subsídios. Os fundos serão liberados no início do ano rotário subseqüente.

P: Meu distrito pode utilizar o Subsídio Distrital Simplificado como doação correspondente à parcela do patrocinador de projeto de Subsídio Equivalente?
R: Distritos não podem utilizar Subsídios Distritais Simplificados para patrocinar projetos de Subsídios Equivalentes. Anualmente, distritos têm direito a solicitar uma parcela única (Subsídios Distritais Simplificados) de até 20% do FDUC para implementar variados projetos comunitários locais ou internacionais. Nestes casos, o FDUC já foi registrado como contribuição do distrito à Fundação Rotária, o crédito de reconhecimento de Companheiro Paul Harris já foi calculado, o comprovante para dedução de imposto de renda emitido e o mais importante – não haverá equiparação da Fundação. O processo de inscrição aos Subsídios Equivalentes é diferente e distritos precisam da orientação, autorização e endosso do presidente da comissão distrital da Fundação Rotária.

P: Quantos projetos o distrito pode apoiar com a parcela única dos Subsídios Distritais Simplificados?
R: O distrito se responsabiliza pelo dinheiro recebido da Fundação. Os fundos podem ser utilizados em um projeto ou várias atividades, como o distrito preferir.

P: Clubes podem solicitar Subsídios Distritais Simplificados à Fundação Rotária?
R: Não. Cabe ao distrito decidir quais projetos patrocinar. Clubes devem manter contato com o presidente da comissão distrital da Fundação para verificar de que forma os fundos estarão disponíveis.

P: Quem é responsável pelo envio do pedido de Subsídio Distrital Simplificado à Fundação Rotária?
R: O pedido de subsídio é feito pelo presidente de comissão distrital da Fundação Rotária, juntamente com o governador eleito.

P: Quando os fundos estarão disponíveis?
R: No início de cada ano rotário. Após receber o pedido dentro dos prazos estabelecidos, a Fundação Rotária verifica se existem relatórios pendentes, relativos a projetos anteriores antes de autorizar a liberação dos fundos.